Viva a melhor estratégia

Existem duas estratégias que podemos adotar para conduzir a nossa vida. A primeira é tentar fazer com que o mundo externo se adapte ao nosso propósito. A segunda é mudar o modo como vivenciamos o mundo externo para adaptá-lo ao nosso propósito.

Tome como exemplo a segurança, um tema muito debatido principalmente no período de campanhas políticas. A sensação de segurança pode até ser melhorada se você comprar uma arma, instalar grades nas janelas de casa, mudar para um bairro mais “protegido”, sentir que o policiamento aumentou. Todas essas providências visam modificar o mundo externo para atender ao nosso propósito.

A outra estratégia é modificar aquilo que entendemos por segurança. Comecemos por admitir que não existe segurança perfeita, reconhecendo riscos inevitáveis. Uma vez percebendo tal verdade, vale compreender que não estamos no controle de tudo e, mesmo assim, podemos desfrutar desse mundo imprevisível. Assim, a ameaça da insegurança não terá tanto espaço para prejudicar o nosso bem-estar.

O mesmo exemplo pode ser usado para a maneira como gerimos a empresa. Podemos cercá-la de controles para que não seja usurpada ou tratamos de compreender que riscos fazem parte dos negócios. Assim, estamos em condições de, abdicando da rigidez, termos a flexibilidade de fazer com que ela continue atendendo as exigências do mercado e, com isso, prospere.

Mudar as condições externas parece que funciona, a princípio, mas se não houver uma mudança de consciência na maneira de compreender a realidade, os medos e os desejos, infundados ou não, continuarão gerindo a nossa vida.

Metanoia é essa mudança de modelo mental, em que o mundo de dentro observa e confere sentido ao mundo de fora. É a melhor estratégia para viver num universo entrópico, sobre o qual temos pouca influência e nenhum controle. Resta-nos aprimorar cada vez mais a própria consciência, a partir da qual o que queremos – o nosso propósito – e o que podemos – os nossos dons e talentos – são vigorosamente renovados para fazer alguma diferença no mundo.

Essa é a estratégia vencedora. A ela, portanto!

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios*