Relacionamentos atrapalham decisões

Concorda? Duvida? Então pense em quantas vezes deixou de tomar determinada decisão ou resolveu algo de maneira menos adequada apenas para não frustrar as expectativas dos outros, evitar ressentimentos ou até mesmo não sentir culpa. 

Se acontece com você, então penso que está de acordo com a epígrafe. Mas os relacionamentos não deveriam atrapalhar a tomada de decisões. Sabe por que essas coisas se repetem e parecem “normais”? Porque misturamos as estações, ou melhor, misturamos decisões com relações. Quando dizemos não – e essa, às vezes, é a melhor decisão a tomar – a negativa é para a decisão, não para a pessoa que apresentou a sugestão. 

Sim costuma ser considerada a melhor resposta para os relacionamentos e pode parecer muito bom quando se estende também para as decisões. Nem sempre, porém, é o melhor a fazer. Dizer sim aos relacionamentos não significa dizer sim, também, às decisões. 

Dizer sim aos relacionamentos implica abertura para a aceitação e a compreensão, ambas essenciais às relações bem-sucedidas. Concordância, na tomada de decisões, é de outra esfera, pois implica estar de acordo com determinada opinião, ideia, projeto, plano. Se o caso é outro, dizer não pode ser a melhor alternativa.

Relações podem ser afetadas pela ausência de aceitação e compreensão, mas dificilmente são rompidas, embora até possam ficar abaladas por algum tempo, com as negativas às decisões. Um sim equivocado às decisões pode apenas dar sobrevida a uma relação que acabará ruindo mais adiante. 

Queremos tomar decisões acertadas e manter a qualidade das relações, pois é o melhor dos mundos. O que fazer para alcançar tal anseio? 

A palavra é assertividade. Implica ter uma atitude que signifique: “É o que eu penso, é o que eu sinto, portanto, é meu ponto de vista. Gostaria de conhecer o seu para, juntos, tomarmos a melhor decisão”. Com isso, coloca-se a decisão em xeque, mas preserva-se a relação. 

Uma outra definição de assertividade é bíblica: “que o seu sim seja sim, que o não seja não”.

Ambas as lições, somadas à coragem, podem nos levar às melhores decisões e relações. Pratique para constatar!

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios*