Quaresma e quarentena

Uma Quaresma e tanto, a que acabamos de viver! Quaresma combina com recolhimento, quarentena com isolamento. A penitência, agora, veio em dose dupla.

Penitência é uma das palavras mais importantes durante a Quaresma. Geralmente, é sinônimo de tristeza ou de sofrimento. “Pagar a penitência”, quem já não ouviu essa frase? Remete a algum tipo de castigo. Muitos têm vivido a quarentena com igual sentimento. Tudo, no entanto, é uma questão do olhar, da perspectiva.

O significado original de penitência é outro. Quer dizer “melhorar”, “tornar-se melhor”.  

Vejamos, então, algumas perguntas que o penitente pode se fazer, nesse momento de reflexão. Para onde estou indo? A que ponto a viela me conduz? Devo andar ou não faço nenhum movimento? A maneira de seguir adiante me faz melhor? Em quem eu estou me transformando, enquanto caminho?

São boas perguntas para a travessia da Quaresma e válidas, também, na quarentena. Penitência exige o sacrifício que liga a cruz à luz. Se evitarmos a cruz, afastamos também a luz. É o que a Semana Santa nos ensina.

O sacrifício da Quaresma vale a pena. Sacrificar é tornar sacro, sagrado. Abrir espaço para o divino, nos entremeios do humano que existe em nós. A quarentena também valerá a pena, se soubermos passar pelo deserto que representa.  

Ambas – e é bom que se diga – não eliminam o entusiasmo. Quando vivemos com entusiasmo, a divindade pulsa dentro de cada um de nós. A própria palavra “entusiasmo” significa aquele que está cheio de divindade. Se o entusiasmo preencher os nossos dias, não haverá espaço para o medo e outros sentimentos negativos. 

Isolamento nenhum impede a caminhada, o entusiasmo, a jornada espiritual.

É Páscoa! A festa da vida! Podemos seguir adiante, livres de pesos mortos, vivendo a perfeita alegria. 

Feliz Páscoa a todos!

Quem leu esse artigo também leu esses:

  • Qual é o chamado?

    O que nos chama? O que pode, nesse momento dramático, elevar as nossas chamas? Qual...

  • “Precisamos construir um enredo que faça sentido para nós.”

    Todas as manhãs, no Palácio do Catete, no Rio de Janeiro, Getúlio Vargas perguntava à...

  • Desista do modelo errado!

    Metas todos conhecem. São traduzidas em números para que possam ser avaliadas. Movimentam as empresas,...