Quais são as suas prioridades?

Existe um erro nessa pergunta. Você consegue identificá-lo? Se não, é possível que cometa alguns outros na maneira de conduzir a sua vida.

Caso aceite bem o plural da palavra prioridade, posso concluir que você não sabe qual é a sua.

Segundo Houaiss, prioridade é a condição do que é o primeiro em tempo, ordem, dignidade. É o que tem a preferência ou a primazia. É o que está em primeiro lugar em importância, urgência, necessidade e premência. Oras! Se mais de uma coisa tem preferência, primazia, importância, urgência ou premência, então a palavra não faz o menor sentido, da mesma forma que não tem nenhuma utilidade em sua vida.

Quem tem várias prioridades, não tem nenhuma. Assim, abre a porteira para inúmeras concessões. Se você não escolher conscientemente no que concentrar o seu tempo e energia, outros farão isso por você. Ao entender que pode ter muitas, automaticamente permite que outros – o chefe, o colega, o cliente, os familiares – definam, em seu lugar, quais são as prioridades. A verdadeira questão não é como dar conta de tudo, mas quem, na verdade, escolhe o que deve ou não fazer.

Você tem de definir a prioridade de sua vida, não aceitar a vida que os outros esperam que tenha. A melhor maneira de eleger o singular é ter um propósito. Algo que segue a intenção primordial, inspirada em seus desejos. Trato disso no livro O Velho e o Menino.

É fundamental reagir às pressões sociais e profissionais que podem puxar você em mil direções. Implica livrar-se de desperdícios de tempo e de abrir mão de oportunidades, aparentemente ótimas, mas que vão privar você daquela que é a sua – e unicamente sua – prioridade.

Ter em mente a intenção primordial, saber qual é o seu propósito e definir a sua prioridade faz parte da sabedoria de quem aprendeu a viver o essencial e a liberdade. Afasta qualquer perigo de ser controlado por prioridades que não sejam a sua.

Viva a coragem de ser o que é!

 

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios*