Mergulhe de coração em uma história inspiradora: Starbucks

Em um dia de inverno, aos 7 anos, ao voltar para casa da escola encontrei meu pai esparramado no sofá engessado do quadril até o tornozelo. Meu pai era um veterano de guerra sem instrução e, apesar de muito orgulhoso, nunca realmente encontrou o seu lugar no mundo. Ele teve uma série de empregos braçais extremamente árduos para sustentar a família, sem nunca conseguir ganhar mais de U$ 20 mil por ano. Ele foi motorista de caminhão, operário em uma fábrica e até motorista de táxi por algum tempo, mas o seu trabalho atual era o pior. Ele dirigia um caminhão coletando e entregando fraldas de pano. Naquele dia, meu pai havia escorregado no gelo e quebrado o quadril e o tornozelo e, para um trabalhador braçal em 1960, não havia indenização por acidentes no trabalho. Nenhuma assistência médica. Nenhuma indenização por afastamento. Meu pai foi mandado para casa depois do acidente e dispensado pela empresa. Quando meu pai faleceu em 1988, de câncer do pulmão, não tinha nenhuma poupança nem pensão. E o mais trágico, na minha opinião, foi que ele nunca encontrou realização nem significado em seu trabalho.

Assim começa, contada por ele mesmo, a saga de um dos empreendedores mais importantes do mundo dos negócios: Howard Schultz.

Howard rompeu com os paradigmas dos empreendedores e com a sabedoria convencional dos negócios, convencida de que o futuro está ligado à tecnologia, às barreiras aos concorrentes, à propriedade da ideia ou a algo que ninguém oferece. Não seguiu o palpite da opção pela biotecnologia, as telecomunicações ou o software, a exemplo dos computadores da Apple, dos chips da Intel ou do sistema operacional da Microsoft. Preferiu apostar em uma commodity: o café. E criou a Starbucks.

Sem herança nem dinheiro, conseguiu transformar uma pequena rede de café local, em Seattle, nos Estados Unidos, na marca mais famosa do segmento em todo o mundo. Com o adicional extraordinário de contribuir para a melhoria do próprio grão, apoiando agricultores dispostos a oferecer variedades de alta qualidade, a partir de cultivo baseado em valores éticos.

É possível que, enquanto você estiver lendo este texto, mais uma loja da Starbucks seja inaugurada para somar-se às outras 16.000 existentes em mais de 54 países.

Howard conta o segredo de seu sucesso no livro recém lançado pela Buzz Editora. Uma história de superação instigante e emocionante. Uma leitura inspiradora para atuais e futuros empreendedores.

Eu me senti muito honrado por ter feito o prefácio para a edição brasileira, com a feliz oportunidade de apresentar aos leitores uma empresa da Nova Economia. Não sem motivo, o título do livro é “Dedique-se de coração”. Tudo a ver e a aprender! Mergulhe fundo nessa história altamente inspiradora.

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios*