Desiderato 12 – Eu desejo retribuir

O espírito é solidário, ao contrário do instinto egoísta que leva seres humanos a buscar a sobrevivência, acima de tudo e de todos. Desconsidera, portanto, a colaboração como garantia da existência, razão pela qual a espécie ainda não desapareceu. 

Retribuir é um verbo representativo do espírito de solidariedade e de colaboração que perpetua a espécie. É um movimento natural. Sim, porque ao receber um presente de alguém, nosso impulso imediato é oferecer algo, de volta. 

Assim se preserva o fluxo de energia, uma corrente generosa de contínuo dar e receber. Tudo começa com a prática de outro verbo: contribuir.

A economia é o meio e o mercado é o espaço para o qual fluem ideias, insumos, expectativas, materiais, pensamentos, mercadorias, decisões, informações, sentimentos, equipamentos, desejos, produtos, dinheiro, serviços, trabalho, necessidades, emprego etc. É, portanto, uma grande rede da qual fazemos parte. 

Através da economia, do mercado, dos negócios e do trabalho podemos nos realizar, desenvolvendo nosso espírito de colaboração e solidariedade. A interação positiva com os outros nos mostra que não estamos cercados de adversários. 

Não há, portanto, necessidade de ataque ou defesa, mas sim interdependência. Os demais dependem de nós, como deles também dependemos. A vivência de tal harmonia libera uma gama de valores capazes de qualificar o ato de retribuir: graciosidade, alegria, generosidade, desprendimento. Tudo a partir da confiança, como base saudável. 

Quem leu esse artigo também leu esses:

  • Nova carta do Velho para o Menino

    Ilustríssimo Aladim Nunca imaginei que aquele encontro no ônibus, com destino à Barra Funda, fosse...

  • Rádio Metanoia – Qual é a graça?

    Toda semana um podcast para refletir sobre negócios, empresa, liderança na Nova Economia.     ...

  • Qual é o chamado?

    O que nos chama? O que pode, nesse momento dramático, elevar as nossas chamas? Qual...