Aprender não é para qualquer um

Como seres inacabados, somos eternos aprendizes. Essa virtuosa capacidade nos faz evoluir como humanos. Mas, embora exista como probabilidade, não acontece com todos, infelizmente. Aprender não é para qualquer um.

O aprendizado e a aprendizagem têm os seus mistérios e entraves. Avalie a sua conduta como aprendiz.

 

Quem conhece, reconhece

Isso é bom e ruim. Bom, porque descomplica. Não precisamos começar do zero. Diante de cada realidade, temos um repertório que nos ajuda a ir além, a partir do que já conhecemos, tornando a vida mais simples e viável. Por outro lado, a tendência é enquadrar e encaixar em nosso repertório já cristalizado tudo o que aparece pela frente. É como se já tivéssemos uma história definida, aberta apenas ao que já existe nela, mas rejeita-se o que, supostamente, dela não faça parte.

O julgamento é sempre contrário à aprendizagem. Buscamos aquilo que reforça os nossos paradigmas, rechaçamos  o que a eles se opõe.

Estima-se que 80% das informações que usamos para criar percepções do mundo já estão dentro do cérebro, razão pela qual nos repetimos a maior parte do tempo.

 

Pedir óculos emprestados

Vivemos um imenso jogo de ilusão de ótica. Nossas visões são sempre parciais. Não existe aprendizado e ajuste de olhar sem interação com os outros, ou seja, sem a criação de espaços de relacionamento e compartilhamento nos quais as pessoas possam trocar e ampliar suas percepções. Em mútua e benéfica simbiose.

Assim deveria ser, mas nem sempre é. Poucos acreditam que os óculos dos outros sejam melhores do que os seus ou  preferem selecionar os óculos que tomam emprestados. Em geral, são aqueles que representam as mesmas crenças, ideias e pensamentos. Reforçamos o que já sabemos e, assim, impedimos a entrada de algo novo, capaz de expandir nossos horizontes.
Preferir a uniformidade à diversidade é reduzir – senão mesmo impedir – a nossa capacidade de aprender e de evoluir.

 

A mudança da realidade é contínua, mas a mudança de percepção é repentina

Um dia você coloca em xeque as suas crenças, abre uma janela de oportunidade em meio às suas certezas, deixa a luz entrar clareando o breu da ignorância. De repente, não mais que de repente, o que estava velado se revela. O milagre acontece.

Aqui vale uma distinção. Aprendizado é quando um conhecimento ocupa o vazio da ignorância. Faz parte da esfera da cognição. Aprendizagem é quando a vida ganha um sentido, promovendo o despertar e a transcendência. Faz parte da esfera da espiritualidade. A nossa evolução humana depende das duas esferas, em constante e saudável interação.

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios*