Você vai precisar de um GPS

Tente imaginar o mundo e o mercado daqui cinco ou dez anos. Você espera um ambiente mais tranquilo, com menos entropia, confusões e tumultos? Pense nos efeitos da tecnologia na última década. Agora, projete-os para frente. Consegue imaginar o que poderá acontecer?

Você não sabe, eu não sei, tal como ninguém, nem mesmo os melhores futurólogos. Mas uma coisa é certa: cada vez mais vamos precisar de um GPS que nos conduza ou ao menos nos impeça de perder de vista o Norte.

Muitas vezes, quando programo o waze, duvido muito que vai me fazer chegar ao lugar desejado no horário determinado, dado o trajeto que propõe. Mas eis que, para o meu espanto, lá estou, direitinho, conforme foi estimado!

A analogia serve, no entanto, em parte. Dirigir uma empresa é diferente de assumir o volante de um carro. O veículo é uma máquina que você controla com o objetivo de chegar a algum lugar, mas não é assim que uma empresa funciona. A empresa se parece mais com uma planta. O que também significa que de nada adianta dizer para ela “cresça!” ou “desenvolva-se!” para que ela cresça ou se desenvolva. Uma planta você não dirige nem conduz. Tem de cultivar.  Mas, para isso, vai precisar de uma cultura. A cultura é o GPS de sua empresa.

Antes, porém, vamos ajustar a compreensão do que seja uma cultura. É um modo de trabalhar em conjunto, para realizar estratégias, por meio de métodos de trabalho seguidos tão frequentemente e com tanto sucesso que as pessoas não pensam em fazer as coisas de outro modo.

A Metanoia propõe um GPS cultural para as empresas, composto de filosofia + estratégia + método. Método existe para desenvolver habilidades; estratégia, para desenvolver conhecimentos; filosofia, para desenvolver a consciência. O GPS cultural assim proposto transforma empresas convencionais em empresas de aprendizagem.

Algumas são muito eficientes tecnicamente, mas não possuem ressonância ética e humana. Carecem de filosofia e consciência. Uma cultura que promove a expansão de consciência permite que as pessoas façam, com autonomia o que for preciso para que tanto elas como a empresa sejam bem-sucedidas.

Uma empresa é uma comunidade humana, por isso, necessita de uma cultura. É a cultura que, mesmo diante das turbulências diárias e tsunamis de quando em quando, vai manter a embarcação em seu rumo e prumo. Mesmo diante das incertezas sobre o futuro, só ela é capaz de garantir que a sua empresa vai chegar lá. Mas, tal como um GPS, quem programa é você. Jamais perca de vista essa responsabilidade!

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios*

Quem leu esse artigo também leu esses: