Viva a aventura do cotidiano!

Limiar é o começo de uma nova etapa, de um estágio inédito. Todos os dias temos de ultrapassar limiares. E o verbo é esse mesmo: ultrapassar.

Problema você não resolve, mas ultrapassa, disse Jung, em uma reflexão que li e nunca mais esqueci. Faz muito sentido para mim, principalmente quando lembro de problemas aparentemente intransponíveis, em eras remotas, e que me roubavam a paz e a paciência, mas que hoje eu sequer consideraria difíceis. Até enfrento situações semelhantes, porém ultrapassadas. Nada houve com esses eventos, pois se repetem, porém algo aconteceu comigo.

A palavra limiar é usada em jornadas e sagas, estórias e lendas, para denominar instantes decisivos nas trajetórias de heróis capazes de chegar a seu destino, superando obstáculos. Não sem uma boa dose de aventura, medo e coragem para enfrentar perigos sempre à espreita, pois nunca se sabe o que nos aguarda do outro lado do limiar. Essas façanhas preenchem livros e constituem o enredo de uma filmografia de sucesso, em várias versões, e que continua fazendo fortunas em Hollywood.

Nesta prosa, no entanto, proponho ultrapassar limiares mais acessíveis, para testar a nossa taxa de heroísmo, por menor que seja. Saiba, porém, que o indicador tende a crescer na relação inversa de nossa taxa de comodismo.

Algo como ultrapassar conscientemente o limiar que separa o interior de sua casa do lado de fora.  Sei que você repete isso todos os dias, mas fazê-lo com consciência é um exercício menos comum. Experimente. Preste atenção no que existe ao redor, principalmente no que passava literalmente em branca nuvem. Acredite: a sutil mudança pode lhe render aprendizados incríveis. Interaja com o mundo exterior como se fosse a primeira vez.

Faça a mesma coisa também na empresa em que trabalha. Por mais tempo que ali esteja, entre com olhar de aprendiz, para quem tudo é novidade e gera, ao mesmo tempo, espanto e encanto. A rima não é por acaso! Ouse mais, estendendo a vivência a outros lugares que frequenta: a loja, a padaria, a banca de jornal, o posto de gasolina, o supermercado. Vá além do automatismo e interaja nesses ambientes de uma forma diferente e inédita. Vai ver como a vida se renova a partir de uma atenção jamais vivida antes.

Pense também nos limiares mais introspectivos, aqueles que você ultrapassa consigo, diariamente. As sensações que lhe causam a mudança de estação do ano, a certeza de estar com um dia a mais de vida, o sentimento com o qual desperta, de alegria ou de tristeza.

Você pode agradecer a Deus e pedir a Ele que abençoe cada um de seus limiares e ultrapassagens. Sugiro, no entanto, como parte principal do exercício, que você reconheça os limiares já abençoados e, então, os ultrapasse.

A vida, mesmo no cotidiano, pode ser uma gratificante  aventura!

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios*