Seja você a travessia

No livro Metanoia – Os Passos, faço uso da travessia como metáfora para que essa empreitada no mundo empreendedor seja melhor compreendida.

Os negócios fazem parte da nossa travessia, no lado de fora, mas existe também uma travessia interior. Ambas estão visceralmente interligadas. Por isso, em que pese o frenesi do mundo dos negócios, a travessia interior não pode ser feita com pressa. Ela tem o seu próprio tempo. Como uma epopeia, é feita de meandros ora assustadores, ora surpreendentes.

Se a fizermos com rapidez, deixamos de aprender exatamente em momentos cruciais do aprendizado: nas pausas. É quando afloram as muitas travessias de nossas próprias paisagens interiores.

No lado de fora, a travessia nos dilui, cobrando-nos papéis e funções que nem sempre nos representam. Queremos ser aceitos pelos outros e vez por outra, seja por vontade de agradar ou medo de desagradar, deixamos de expor o nosso melhor. Seja como líder ou colaborador, tomamos decisões que não têm nada a ver conosco. E as justificamos justamente pelo papel que exercemos. Mas quando isso acontece, nos diluímos. Ficamos um pouco mais distantes de quem verdadeiramente somos. É na travessia interior que nos reencontramos, deixando transparecer a nossa essência. Por isso, a travessia não pode ser feita rapidamente. Menos, ainda, sem pausas. Como na música, a melodia é feita de notas e breves silêncios. No ritmo certo.

A travessia parte do mundo das miragens, feito de ilusão, para o mundo das imagens, feito de iluminação. Se feita somente olhando para fora, corre-se o risco de estagnar no mundo da ilusão, onde a maioria sobrevive. É de dentro para fora que a travessia deve ser feita, pois projetamos nela todo o nosso conjunto de crenças e valores.

Há quem nem se dê conta de que existe outra margem e permaneça padecendo no mundo da ilusão, onde reina a escassez. Outros, mesmo sabendo que existe a margem oposta, acomodam-se na da precariedade. Recusam-se a fazer a travessia. É certo que ela exige coragem e vitória sobre os medos. Mas a travessia é o nosso desafio, tanto no mundo de dentro como no mundo de fora.

Dar o passo! Essa é a ousadia primeira. Fazer a travessia e ser a travessia, servindo como ponte para que outros se animem e atravessem. A nossa travessia se amplia quando abrimos espaços para que mais pessoas possam caminhar juntas. Estamos todos envolvidos nessa busca humana. Fundamental para a vida!

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios*