Salve a criança que habita em nós!

“Há um menino, há um moleque, morando sempre no meu coração.” Fernando Brandt nos deixou este ano, mas vive na eternidade graças aos belos versos que nos deixa. Quem não se lembra, quem não os conhece na belíssima voz de Milton Nascimento?

Pois hoje é o Dia das Crianças e eu quero homenagear a criança que habita em nosso interior.  O que seria de nós sem ela? Como diz a letra da canção, cada vez que o nosso adulto amedrontado vacila, a criança vem nos dar a mão. Ou sempre que algo nos assombra, seja a crise ou qualquer outra bruxa, lá vem ela, a criança destemida e confiante, mais uma vez de mão estendida.

Hoje é o Dia das Crianças. E pensei mesmo foi nessa, virtuosa, que nos fala coisas bonitas como amizade, respeito, caráter, bondade, alegria e amor. Como viver sem ela dentro da gente? Você consegue? Seria como estar no deserto à procura de água pura da fonte, quando a criança é a água pura da fonte. Ou a própria fonte.

Ela também sabe ser radical. Não aceita qualquer sacanagem como algo normal. Nem está disposta a viver acomodada, como muita gente prefere.  Por isso, no livro “Metanoia – Os Passos” eu a transformei no personagem chamado “Estraga-Prazeres”. Faz todo sentido, pois nos livra das tentações e dos encantos dos pequenos prazeres para que possamos desfrutar do prato principal.

“Há um menino, há um moleque vivendo sempre” no meu e no seu coração. Essa criança nos une, faz de nós uma só pessoa, a mesma pessoa, o ser humano solidário que não deseja a solidão.

Salve o dia dessa criança abençoada! Se deixamos que ela se manifeste, está conosco a cada nova manhã, com seus olhos de ver o que é bom, belo e verdadeiro.

Salve, salve!

Arte: Gildásio Jardim (gildasio-35.blogspot.com.br)

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios*