Sabe o que é metanoia?

Quando me perguntam o que significa a palavra metanoia, respondo de bate-pronto: “mudança de modelo mental”. E, tal como naquele emoji ressabiado, noto um ar de indagação, insinuando que talvez a resposta seja insuficiente. Afinal, o que é essa coisa de “modelo mental”? E o que é a mente?

Seria mais fácil dizer que tudo acontece por meio de um processo de aprendizado capaz de transformar informações em conhecimentos. Conhecimento é uma palavra palatável, de utilidade inquestionável: aumenta o entendimento, amplia o raciocínio, expande o intelecto. Mas o conhecimento racional e intelectual é, ainda, apenas o verniz do que precisa ser transformado. Existem estados e níveis da mente que nem o racionalismo nem o intelecto alcançam.

A mudança de modelo mental não se completa nem se basta com o aprendizado, um processo tecnicamente racional e intelectual. Recorro ao poeta e místico hindu Kabir, para quem “você pode ler todos os livros sagrados e banhar-se em todas as águas sagradas sem encontrar a própria alma”. Quando estive na Indochina, me surpreendi ao saber que para os asiáticos a mente fica no lugar do coração, não do cérebro, como acreditam os ocidentais.

O que produz mudança de modelo mental é um processo de aprendizagem. Sim, há diferença entre aprendizado e aprendizagem. Aprendizado, recordemos, é racional e intelectual. O intelecto se contenta com o aprendizado, mas a alma requer aprendizagem. Aprendizagem implica envolvimento emocional e espiritual e não se esgota com livros, textos e escutas. Requer experiência e todas as experiências mexem com as percepções e alteram a consciência.

Metanoia, portanto, em um nível mais profundo, significa expansão de consciência. É onde está a fonte da verdade, da confiança, da imaginação, da arte, da beleza, da fé, da bondade, da esperança, do amor, da compaixão e da maioria das coisas que dão significado à vida.

Expandir a consciência é trazer tudo isso para a existência e os ganhos são incomensuráveis. Um nível mais elevado de consciência faz com que se enxergue abundância onde antes só se via escassez. Faz com que se veja o divino, onde antes tudo se limitava ao humano. Faz também com que se descubra milagres, onde antes só se vivia de fatos e acontecimentos.

Constate vivendo a sua própria metanoia!

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios*