Quer ser imortal?

Reeditado com o título de “Metanoia – Os Passos”, “Pegadas” é o livro em que trato de uma palavra instigante para nós, os mortais: legado.

É definido por Houaiss como algo transmitido a gerações subsequentes.  Queremos, de alguma maneira, ser lembrados – bem, de preferência – e tememos cair no esquecimento. No fundo, para além daqueles que apenas lutam para sobreviver e “sair vivos dessa”, almejamos mais do que uma vida irrisória. Ansiamos perenizar as nossas obras, dispostos a nos imortalizar.

Se pensarmos com clareza, conseguiremos deixar para as gerações futuras aquilo que fizermos com os nossos desejos. Eles garantem que a gente não caia no esquecimento.

Constate por si! Tantos seres humanos passaram pela vida sem nada legar, ao contrário daqueles que fizeram história e deixaram as suas pegadas para todo o sempre. Estes, basta verificar para concluir, eram seres de desejos. Mais que isso: conseguiram transformar seus desejos em propósito e assim suas pegadas estão cravadas no chão da eternidade, daquilo que não é transitório, e que costumamos denominar de legado.

A carência é transitória, ao contrário do desejo, que é permanente. De ambos não nos livramos. Se a carência cresce, o desejo se contém. Mas se é o desejo que se expande, a carência se retrai. Uma verdadeira queda de braço, um jogo sobre o qual precisamos estar conscientes. O fato é que ninguém conta uma boa história movido por suas carências, porque estas deixam apenas rastros suscetíveis a qualquer brisa passageira. Desejos, sim, contam histórias e deixam pegadas que se perpetuam depois que seu autor não mais existe.

O desejo é tanto um impulso como uma energia. Precisamos alimentá-lo e deixar que nos transforme em seres de busca. Tal procura é o que nos leva a seguir adiante. Essa caminhada é o que nos faz sentir vivos. E a vida é o nosso principal projeto, enquanto estamos por aqui.

Todos somos transitórios, como mortais, mas eternos, a partir do desejo. Que ele se perenize em um propósito capaz de deixar boas e inesquecíveis pegadas.

Afinal, é o que está designado!

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios*