O que fazer para um país dar certo?

Em primeiro lugar, as suas lideranças devem formular a pergunta certa. Em geral, quase todos os candidatos à liderança costumam indagar, de saída: “o que funciona?”. Os discursos são como agulhas encalhadas no mesmo sulco do disco e as promessas, sempre de fazer funcionar a saúde, a educação, a segurança. Essa, rotineira, não é a melhor pergunta, pois, se fosse, as coisas estariam funcionando mais a contento do que observamos, na realidade.

Há quem insista em dizer, com total certeza, que naquele país estrangeiro, tudo funciona. Se é, mesmo, verdade, então a pergunta formulada, a priori, não foi a costumeira. Ainda assim, vale investigar: será que o que verdadeiramente importa, funciona? Se a resposta for negativa, posso adiantar que o que funciona realmente de nada importa.

Se trocarmos “o que funciona?” por “o que importa?”, seguiremos por outra trilha, mais promissora. “O que importa?” é a pergunta certa, embora esquecida das mentes e dos corações das lideranças. Aquele oficial nazista se vangloriava de sua eficácia em dar cabo de milhares de judeus que chegavam aos campos de concentração, naqueles vagões lotados, sem deixar escapar nenhum. Ele sabia bem o que funcionava, mas não havia aprendido sobre o que importava. Importa promover a vida humana. Justamente o contrário do que ele perpetrava com orgulho.

O leitor mais pragmático poderia questionar: e se o que importa não funciona? De que vale? Para que serve?

Então, façamos um reparo. “O que funciona?” não é uma pergunta ruim,  apenas não é a melhor. Ela só deve ser formulada depois que se respondeu a “o que importa?”  E o que verdadeiramente importa?

Os valores virtuosos importam mais do que os valores monetários. Verdade, respeito, dignidade, integridade valem mais do que receitas, rendimentos, margens e lucros. Os valores monetários fazem com que os negócios funcionem, mas são os valores virtuosos que fazem com que os negócios promovam a vida, enquanto funcionam.

As leis de dentro, movidas pela consciência, importam mais do que as de fora, regidas por leis, normas e regulamentos. Leis, normas e regulamentos fazem com que a sociedade funcione, mas são as leis de dentro, movidas pela consciência, que criam uma sociedade ética, humana e próspera para todos. Inclusive as leis, normas e regulamentos que funcionam.

Se o país insiste e não dar certo devido ao fato de as lideranças não saberem ou não se interessarem em formular a pergunta certa, faça dar certo a sua jurisdição – seja ela uma empresa, um departamento ou um projeto. Para isso, pense em conjunto com os seus pares as melhores respostas para a pergunta primordial: “o que importa?”. Somente depois de exauri-la com o consenso das melhores respostas, siga em frente! Agora, sim, o que faz o que importa funcionar?

 

 

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios*