O poder da intenção!

Todos nós vendemos alguma coisa: produtos e serviços, ideias, competências, tempo etc. Podemos não ter o cargo, mas somos vendedores. Esperamos remunerações ou recompensas para nossos feitos. Essas trocas são negócios que fazemos no ambiente denominado de mercado. É o modelo socioeconômico que atingimos, com todos os seus defeitos e qualidades.

Nesse mercado, alguns vendem melhor do que outros. Muitos têm dificuldades para “se vender”, precisam de intermediários que façam isso por eles. Em contrapartida, existem os que “se vendem” com tanta naturalidade que, dada a sutileza, os compradores nem se dão conta de que se trata de um negócio.  Questão de habilidade ou de talento? Nem um, nem outro. Questão de intenção.

Acontece que a intenção de servir tem mais força do que a ambição de vender. Quando você pensa em vender, o holofote está sobre as suas necessidades: de faturar, de atingir a meta, de “fazer dinheiro”, de obter a comissão ou a recompensa financeira. Quando você pensa em servir, o holofote está na necessidade do cliente, em suas demandas, necessidades, anseios.

A intenção de ligar-se no outro é e sempre será o melhor negócio.

Acredite!

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios*