Mantenha uma relação virtuosa com a vida

É difícil ser ético com os outros quando não se é consigo. Quem não cumpre acordos consigo, não vai cumprir os combinados com os outros. Quem não honra promessas a si mesmo, não honrará as feitas com ninguém mais. Vale repetir, para que fique bem claro. E presente na memória. Simples assim.

Nem vou me ater àqueles que não são éticos ou raramente são éticos. Não há comentários capazes de convencê-los do contrário ao que se habituaram. Consideram que os ganhos próprios prevalecem sobre o bem comum. Existem, no entanto, duas outras categorias que merecem reflexão. Penso que nelas se enquadra a maioria das pessoas.

Há quem seja ético o tempo todo e há quem costume ser ético. Existe uma diferença sutil entre ambos. Manter a ética o tempo todo gera conflitos e não é nada confortável, embora imprescindível. O jeito de evitá-los é “flexibilizar” a ética. Muitos preferem, digamos, distendê-la quando têm de pagar um preço para mantê-la. E aí está a diferença entre o “quem é ético” e “quem costuma ser ético”. Neste último caso, a pessoa apenas faz uso da ética por conveniência pessoal. E conveniência pessoal – aí está o resvalo – é, ainda que de maneira sutil, semelhante a ausência de ética.

Voltemos ao início, a partir de outra perspectiva: quem costuma ser ético com os outros, também costuma ser ético consigo. Quem flexibiliza a ética com os outros, a flexibiliza consigo. A conta dessa sutil diferença tem sua contrapartida: a confiança em si e nos outros tem relação direta com a ética consigo e com os outros.

Quem é ético consigo, sabe que pode confiar em si. Na mesma medida, sabe que pode confiar nos outros. Quem cumpre promessas acredita que os outros irão cumpri-las. Por outro lado, quem costuma ser ético, costuma ser confiável, consigo e com os outros. Até que…

Penso que está aí o cerne do primeiro e principal mandamento: “ame ao próximo como a si mesmo”. Honrar a si para honrar aos outros, ser honesto consigo antes de querer e poder se honesto com os outros. Essa é a questão. E o maior ganho pela integridade está na confiança que se tem em si e nos outros. Um grande prêmio para quem almeja uma relação virtuosa com a vida!

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios*