Manifesto 7: Eu desejo compartilhar conhecimentos e experiências.

Busque o fio condutor da história da humanidade e, durante grande parte dela, verá a força como o principal poder. Até o feudalismo, quem a detinha, por meio do seu exército de vassalos, era o nobre de sangue azul. Ele invadia propriedades alheias, saqueava e dominava. Assim ampliava seu patrimônio territorial, pois a terra era sinônimo de riqueza.

Quando a era industrial surgiu, o poder passou a ser o capital. Superior, sem dúvida, pois a força se esvai com o tempo, enquanto o capital pode ser acumulado e aumentado indefinidamente, além de comprar a própria força.

Terra e capital têm algo em comum: concentram-se em determinadas e poucas mãos e têm limites territoriais, mesmo quando se trata de um mundo globalizado.

Na era pós-industrial, o capital começou a se enfraquecer, em favor do conhecimento. Este sim, ainda mais superior, porque o capital se dispersa quando dividido em muitas mãos, ao mesmo tempo, enquanto o conhecimento se expande em várias mentes, ao mesmo tempo, independente de lugar. Um poder incomensurável e sem fronteiras.

Mas a evolução da humanidade e dos negócios não para por aí. A Nova Economia é a era da consciência, o mais poderoso de todos os poderes, pois inclui não apenas os conhecimentos compartilhados, mas também as experiências. Conhecimentos e experiências compõem uma inovadora maneira de ver e de fazer e transforma-se em consciência, quando sustentada por valores e virtudes.

Algumas empresas e profissionais insistem em continuar investindo tempo e dinheiro em questões físicas e tangíveis, apenas. Deixam escapar o que existe de precioso no mundo do intangível, no mundo dos conhecimentos e experiências, no sutil e extraordinário  mundo da consciência.

Eu desejo uma Nova Economia!

Eu desejo compartilhar conhecimentos e experiências.

Eu desejo construir uma nova consciência nos negócios e na vida!

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios*