Manifesto 28: Eu desejo que se cumpra o papel de cada um, como ser espiritual

Se Deus fez o mundo em seis dias e descansou no sétimo, é porque confia nos nossos dons e talentos. Podemos enterrá-los e não fazer uso deles. Mas não foi para isso que os recebemos. Sabemos que tal dádiva nos foi dada para ajudarmos na Grande Obra.

Somos, ao mesmo, tempo criaturas e criadores. Como criaturas, seres inacabados que também buscam o aperfeiçoamento. Como criadores, feitos à imagem e semelhança, nosso desafio espiritual é que busquemos ser perfeitos, assim como Deus é perfeito.

E o que é dar e receber?

É que esses dons e talentos só se expressam quando os entregamos. Enquanto isso não acontece, eles ficam adormecidos em cada um de nós, à espera de um despertador que os faça acordar. Mas despertar é mais uma vocação do que ouvir um sinal ou ter uma vontade. Carl Jung dizia que “não há despertar de consciência sem dor e que as pessoas farão de tudo, chegando aos limites do absurdo, para evitar enfrentar sua própria alma”.

Então, podemos nos dividir em duas categorias: seres de fuga ou seres de busca. Existem aqueles que vivem em fuga constante, na vã tentativa de preencher um vazio insaciável, mesmo que se esforcem para abarrotá-lo com coisas. Tal qual uma água que não sacia, melhor avaliar a qualidade da sede antes de amaldiçoar a quantidade da água. Foge quem recebe e não dá.

Seres de busca são aqueles que cumprem seu papel espiritual. Procuram o melhor para si e para os outros. O melhor, também, para o todo. Têm como legado, portanto, fazer desse mundo um lugar melhor.

Reconhecem também que o propósito é um só, sem distinção, e que a todos cabe saciar-se da boa água. Preferem não acrescentar mais dor aos sofrimentos e promovem a paz e a alegria como prática de dons divinos.

Conscientes de que receberam, entregam.  Entregando, recebem em dobro. E assim se fazem melhores a cada dia como dádiva da retribuição.

Eu desejo que se cumpra o meu papel como ser espiritual.

Eu desejo que se cumpra o papel de cada um, como ser espiritual. 

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios*