Manifesto 26: Eu desejo expandir a minha devoção

O devoto é o ser humano que   desperta para a entrega. Que escolhe levar uma vida com significado. Que exerce sua influência. Que reconhece e faz uso de toda sua autonomia. E busca a responsabilidade naturalmente – pois não sabe conduzir-se de outra forma.

 

O devoto caminha pela fé. Manifesta sua devoção utilizando o “crer para ver”. Possui uma força interna que alimenta a esperança. Com isso, tem automotivação. Ainda assim, e com toda a sorte, o devoto não abre mão do aprendizado e do conhecimento.

 

O devoto não tem preço, mas tem valores e virtudes para oferecer à empresa, aos clientes, ao holograma, ao mundo.

 

O líder tem o grande desafio de despertar seus devotos e mantê-los em expansão. É um trabalho que requer mergulho, questionamento e atenção quanto ao que contribui para a construção do devoto. Para que isso aconteça, a sua própria devoção também deve ser trabalhada.

 

O devoto é o colaborador da Nova Economia. Ele já está por aí. Faz parte de um conjunto de anônimos capazes de trabalhar com maestria, de buscar a superação, de realizar imensos feitos com toda simplicidade. Se alguém mencionar a grandiosidade de sua atuação, eles talvez nem reconheçam tamanha magnitude. Doar-se é tão natural para eles que acreditam ser essa a única prática possível.

 

Sua devoção é como a água para o peixe – por estar submerso, talvez nem tenha consciência dela. O devoto nem sabe que sabe, o que faz dele um sábio na arte do bem servir.

 

Eu desejo que a minha devoção inspire a devoção de todos os que me cercam.

 

Eu desejo expandir a minha devoção.

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios*