Livre-se dos rótulos!

No princípio, era o verbo!

Sim, a palavra é estruturante. A partir da palavra, o ser humano desenvolveu o conhecimento, que nada mais é do que o conjunto de representações mentais que fazemos do mundo. É por meio das palavras que aprendemos a organizar e memorizar a sabedoria do passado e os sonhos do futuro.

A linguagem surge para fazer a interface entre as palavras, a sabedoria e o sonho. Através da linguagem, essas muitas representações puderam ser compartilhadas, o conhecimento disseminado, a curiosidade aguçada cada vez mais. E assim evoluímos como a espécie mais inteligente do planeta.

Será mesmo? Seria, não fossem os rótulos, feitos também dos mesmos vocábulos, igualmente palavras. E aí, o que poderia ser um paraíso, transformou-se numa Babel. Se as palavras expandem, os rótulos reduzem. Se a palavra é libertadora, os rótulos nos aprisionam.

A palavra preto passou a ser rótulo de raça ao invés de cor, judeu passou a ser rótulo de religião ao invés de povo etc.

As palavras estão para asas, assim como os rótulos, para gaiolas. Rótulos são preconceitos com o poder de transformar a realidade em ilusão. O efeito mais perverso do rótulo é o de ser capaz de influir sobre as nossas ações e reações, fazendo com que sejam equivocadas, porque realmente criam uma realidade distorcida e repetitiva, reforçando ainda mais os rótulos que nos aprisionam.

Quando rotulamos alguém, deixamos de enxergar sua grandeza. Sem o rótulo distorcido e depreciativo, aquele ser humano assume seus verdadeiros contornos: um bom pai de família, um amigo fiel, um amante caloroso, um cordial, sonhador, um criador. Mas o rótulo elimina todas essas qualidades. Deixamos de nos relacionar com o todo, a integridade, para reduzir nossa relação ao rótulo, o que nos leva a desconfiar da pessoa, evitá-la, manter distância dela. O fim do que poderia ser um paraíso. A história da Babel.

Eu acredito que o amor é um fenômeno que se aprende. Eis uma boa maneira de começar uma mudança nos relacionamentos. Treinar o amor. E o primeiro passo é governar as palavras, sem se deixar controlar pelos rótulos. Romper com as predefinições, os pressupostos e os preconceitos. Livrar-se da herança nefasta dos rótulos que conferem significados levianos e ilusórios.

Se quem rotula é uma figura de autoridade ou em uma posição elevada na hierarquia da empresa, mais perigoso. Faz parte do ser humano a necessidade de ser aceito, compreendido. Um comentário ruim, proferido despreocupadamente, tem altíssimo poder de destruição. Muitas vezes, nem percebemos.

As palavras têm o poder de afetar os pensamentos, os sentimentos e os comportamentos. Elas são capazes de conduzir à insensibilidade, à falta de energia, à tristeza e até à morte. Mas também podem ser construtivas, positivas, e um verdadeiro combustível para a mente e para a alma. Os rótulos destroem, as palavras constroem. Os valores virtuosos fazem parte do rol de palavras construtivas e, por isso mesmo, constituem a carta que é a pedra angular do processo metanóico. As palavras são capazes de edificar o mundo em que você deseja viver.

Então, vale a pena relembrar: as palavras são estruturantes. Elas ajudam a definir o caráter. As palavras que utiliza lhe dirão quem você é. As palavras pronunciadas no dia a dia de seu trabalho definem o que essa empresa é. Use, portanto, as palavras certas para erguer o presente e o futuro que realmente deseja.

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios*