Festa na Casa Comum

Um dia inesquecível! A 5 de agosto de 2016, o mundo vivenciou a síntese da utopia. Em um mesmo e colorido ambiente, coreanos do norte e do sul, palestinos e israelenses, árabes e judeus, russos e americanos, vietnamitas e japoneses, cristãos, budistas e islâmicos, todos compartilhando o jardim supremo, para plantar as sementes da amizade, da unidade e da paz. Dispostos a cumprir, com entusiasmo e vibração, a profecia do paraíso na Terra.

Brancos e negros, altos e baixos, gordos e magros, de várias etnias e idiomas, irmanados em um só espírito, estampado em cada face, e traduzido na alegria que, sincera e contagiante, une todos os povos. A beleza desfilou em suas variadas formas, mas a essência era uma só.

Quando o ser humano vive a sua verdadeira vocação, tudo se transforma. A cidade do Rio de Janeiro silenciou para receber os irmãos dos mais longínquos recantos do planeta e voltou a ser maravilhosa. O Cristo Redentor, no alto do Corcovado, abençoava a unicidade tão sonhada por Ele, quando por aqui passou e nos legou com o seu Espírito Santo.

Para nós, brasileiros, uma energia que andava em falta. A recuperação da autoestima. Pois vimos, em cada um dos voluntários, a nossa potência como pessoas e o potencial do próprio país. A criatividade auriverde escancarada para quem quisesse ver, uma coreografia de deixar o chamado primeiro mundo de queixo caído, tudo com muita beleza, graça e charme, como bem cantou Jorge Benjor.

É isso aí, Wilson das Neves. Que seu chamamento a nossos ilustres sambistas continue ecoando por essa pátria tão amada. Chama as potências adormecidas em cada brasileiro, chama o potencial escondido em cada torrão. Que contribua para que a gente seja o que realmente é. Que estimule a amizade, o humor, a sabedoria, o amor. Universal. Que, enfim, continuemos ouvindo o chamado, para que a nossa chama jamais se apague.

Estamos de volta!

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios*