Conquiste o PhD nos relacionamentos

“O inferno são os outros”, dizia o filósofo Jean-Paul Sartre. Mas o paraíso também, acrescento, pois nada somos sem os outros. O fato é que as relações – não os outros – podem ser infernos ou paraísos. E sobre relacionamentos temos uma vida inteira para aprender. Ainda assim teremos muita dificuldade para conquistar um PhD em tão delicada matéria.

Alguns se dão bem nessa área sutil que ficamos a imaginar se já não haviam treinado em outras vidas. Sabemos quanto a péssima qualidade nas relações dificulta a vida em todas as esferas: pessoal, conjugal, familiar, profissional etc. Qualquer empenho em progredir nessa temática, no entanto, poderá tornar a nossa vivência tanto menos infernal como mais paradisíaca.

Para acrescentar uma reflexão à escola das relações, é bom distinguir entre aceitação e concordância. Discernir a respeito ajuda a fazer com que o nosso mundo seja melhor e mais habitável, no sentido da boa convivência. A intransigência existe não por concordarmos ou discordarmos, mas porque, de antemão, não aceitamos que alguém possa pensar diferente de nós.

Forçar a concordância antes que haja a necessária e real aceitação faz parte do exercício autoritário da persuasão. Trabalhar a aceitação contém o impulso de querer moldar ou manipular as pessoas. Portanto, é imprescindível para a qualidade de qualquer relacionamento.

Agora, sim, poderemos seguir para a concordância, certo? Se puder aguardar um pouco mais e, entre a aceitação e a concordância, incluir a compreensão, ganharemos mais um mérito em nosso PhD da difícil arte das relações humanas. Afinal, aonde mora o perigo? Na avaliação precipitada e no julgamento.  

Quando alguém declara a sua opinião ou externa um sentimento, nosso ímpeto é avaliar e julgar: “está certo”, “está errado”, “como pode pensar assim?”, “isso não é normal”. Quanto mais conseguirmos evitar ou postergar as avaliações e julgamentos, mais a concordância – ou a discordância – a seguir será revestida de boa consciência.

Aceitar e compreender as pessoas faz com que nós nos modifiquemos e estejamos aptos a alterar nossas posições e opiniões. Aceitar e compreender as pessoas faz com que elas também tenham a oportunidade de se modificar, alterando suas posições e opiniões. Essa é a fórmula mais salutar para nos conectarmos, construindo relacionamentos prósperos e fecundos. Comprove você mesmo!

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios*