Concentre-se na saúde plena.

Doença e enfermidade são diferentes. É o que aprendi, por força das circunstâncias, e compartilho: doença é tudo aquilo que afeta o corpo físico. Mas isso não resulta, necessariamente, em enfermidade. O corpo físico é apenas um dos que somos, a saber: o vital, o mental, o supramental, o espiritual. Quando todos eles são afetados é que se configura a enfermidade.

 

Assim, uma pessoa pode estar doente, sem estar enferma. Pode estar enferma, sem estar doente, a exemplo do que acontece com os hipocondríacos. Ou ficar, ao mesmo tempo, doente e enferma, principalmente quando não faz distinção entre elas.

 

A dor anuncia o desequilíbrio no corpo físico. É preciso resbatelece-lo e o tratamento se dá sem que a pessoa chegue a ter uma enfermidade. Essa é a melhor conduta. A pior é quando alguém assume doença como enfermidade. Então, aquilo que se restringia apenas ao corpo físico é estendido a todos os outros corpos, transformando-se em um problema crônico.

 

O paralelo com o mundo dos negócios é vital. Cansamos de escutar, a todo momento, que estamos em época de crise. Os economistas, como se a profissão servisse a esse fim, alardeiam o tamanho e a extensão da crise. Pois bem: crise é aquilo que se manifesta na dimensão econômica das nossas empresas, o seu corpo físico. A dor é sentida no fluxo de caixa da empresa e a doença se instala.  

 

Mas uma empresa não se restringe à sua dimensão econômica. É composta, também, de outras dimensões, como a filosófica, a potencial e a causal. Podemos isolar a doença na dimensão econômica, impedindo que vire uma enfermidade. Se permitirmos que se estenda às demais, a empresa se tornará enferma.

Se a analogia for bem compreendida, chegamos à seguinte conclusão: a doença nem sempre é voluntária, mas a enfermidade depende da própria vontade e do esforço.

 

Observo e escuto, com muita frequência, líderes que criam a sua própria enfermidade, a pretexto de uma doença. Não conseguem isolar a doença do corpo físico, manifestada na dimensão econômica, dos outros corpos (ou dimensões). Do limão fazem uma limonada, com sentido inverso ao do ditado popular, que se aplica às atitudes positivas.

 

Há também os líderes hipocondríacos. Ficam de tal maneira concentrados no anúncio da crise que criam a enfermidade, produzindo uma doença que, até aquele momento, não existia.

 

Saúde plena! É o que buscamos. Temos de procurar mantê-la em todos os nossos corpos e também em todas as dimensões geradoras de riquezas da nossa empresa. Em qualquer tempo e lugar. É uma questão de escolha e vontade. Cabe a cada um de nós decidir como vivemos e lideramos nossos empreendimentos. Portanto, aposte na vida. E plena de vigor!

 

Esse texto é inspirado na jornada de cura de João Alex que, acometido por uma doença, soube manter-se saudável o tempo todo. Nem as três cirurgias pelas quais passou, ao longo de um mês, foram capazes de tirá-lo do seu centro ou de afetar sua consciência e humor. Uma lição de fé, coragem e determinação para todos nós.

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios*