As três luzes

O desafio do líder é incandescer a sua empresa, aumentando a voltagem de cada pessoa que lá trabalha. É uma tarefa diária, da qual o líder não deve abrir mão nem se distrair com coisas de menor importância.

Para incandescer uma empresa, é preciso acender três luzes.

A luz sobre as coisas

A luz física ajuda a ver não só coisas, como também o brilho no rosto das pessoas e o colorido da paisagem. Graças a ela podemos apreciar um pôr-do-sol, os tons do arco-íris, os azuis do mar. Essa luz nos permite ver a beleza que existe em todas as coisas.

Quando enxergamos beleza, somos capazes de imprimir  beleza nos produtos que fazemos, nos serviços que prestamos, no trabalho que executamos. Nas empresas, essa beleza recebe o nome de excelência.

Quem tem olhos para a beleza consegue transformar em arte tudo o que faz, seja uma peça de roupa, um calçado, um utensílio de metal ou plástico, um relatório.

A luz sobre os sentimentos

Enquanto a luz física nos faz ver as nuanças dos rostos humanos, a luz sobre os sentimentos nos permite ir além desse matiz e vislumbrar o semblante, a expressão das pessoas. Revela o quanto há de afeto e carinho, alegria e coragem em cada ser humano. Mas, para sermos capazes de ver tudo isso, é preciso, antes, observar essas qualidades em nós mesmos.

Essa é a luz que revela a bondade inerente às relações. Na empresa, faz com que sejamos determinados e capazes de não medir esforços para deixar um cliente feliz. Quando a bondade se instala no ambiente de negócios, almas felizes se empenham em fazer outras almas felizes.

A luz sobre os pensamentos

Outro tipo de luz é a que incide sobre nossos pensamentos. E quando isso acontece, disparam ideias, projetos, empreendimentos, soluções. A qualidade dessa centelha está relacionada à qualidade da intenção. A qualidade da intenção, por sua vez, está relacionada à verdade de cada um de nós.

Quando agimos com verdade, outras pessoas percebem a coerência e querem se aproximar de nós, participar de nossos projetos e empreendimentos.

O outro lado da luz

Beleza, bondade e verdade! Estão aí os valores virtuosos que fazem uma empresa incandescer. Mas não se trata de um otimismo ingênuo. Existe o lado oposto da luz, onde reside a escuridão, o breu. Vivem em nós a beleza, a bondade e a verdade, assim como vivem em nós o feio, a maldade e a mentira.

Esse é o ponto: o breu não está do lado de fora. O breu que enxergamos no mundo, no mercado, nos negócios, no trabalho não está neles. Está no interior de cada um de nós. É de dentro para fora que o mundo parece escuro.

Por isso, alguns enxergam escassez onde existe abundância, crises onde existem oportunidades, ameaças onde existem desafios, perigos onde existem possibilidades.

Luz e breu

Certa noite, um velho índio Cherokee contou a seu neto que, dentro das pessoas, acontece uma batalha:

– Meu filho, nossa batalha interna e eterna é entre dois lobos que vivem dentro de nós. Um deles é mau, concentrando em si a raiva, a inveja, o ciúme, a tristeza, o desgosto, a cobiça, a arrogância, a autopiedade, a culpa, a agressividade, o ressentimento, a inferioridade, as mentiras, a arrogância, e o ego. O outro é bom, reunindo a alegria, a paz, a esperança, a serenidade, a humildade, a bondade, a benevolência, a empatia, a generosidade, a verdade, a compaixão e a fé.

O neto pensou um pouco e perguntou:

– Mas qual lobo vence?

O velho Cherokee simplesmente respondeu:

– Aquele que você alimenta.

Tudo o que precisamos fazer é iluminar nossa própria escuridão. Quando fazemos contato com a luz que está dentro de nós, conseguimos enxergar a luz que habita nas outras pessoas, sejam funcionários, clientes, colaboradores, fornecedores, investidores.

Juntos, podemos criar um mundo mais iluminado, que todos possam desfrutar com alegria. Basta alimentar a luz continuamente, cuidando para manter a energia vital que a perpetua.

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios*