Adicione consistência aos seus resultados!

“O único trabalho do líder é conseguir resultados”. Quem disse isso foi Daniel Goleman, autor de “Inteligência Emocional”. E se ele está certo, gostaria de acrescentar algo: resultados consistentes. Sim, porque nem sempre os resultados obtidos são de bom tamanho e, com muita freqüência, estão distantes das intenções.

Quando os resultados não são os pretendidos, as justificativas recaem quase sempre sobre fatores isolados: estratégia errada, equipe despreparada, falta de envolvimento das pessoas, recursos insuficientes etc. Explicações não faltam, mas apenas uma coisa é certa: quando os resultados não acontecem, a única certeza que podemos ter é que faltou ação. E não estamos nos referindo à quantidade de trabalho e afazeres. É provável que isso foi além da conta. O que faltou foi ação consistente.

Entenda por ação consistente aquela que decorre de decisões consistentes. E entenda por decisões consistentes, aquelas que contemplam o corpo, a mente e a alma da empresa. Sim, porque empresa é um organismo vivo e o desafio do líder é buscar o equilíbrio dessa tríade.

Na parte da alma da empresa, é função do líder conquistar a qualidade de diálogo.

Na parte da mente da empresa, é função do líder assegurar a qualidade do negócio.

Na parte do corpo da empresa, é função do líder garantir a qualidade de riqueza.

A função do líder é buscar uma integração sinérgica entre esses três tipos de qualidades: do diálogo, do negócio e da riqueza.

Quando existe uma redução na qualidade de diálogo, o líder vive uma fantasia. Desconhece a realidade. Decide com base nas percepções de outras pessoas, quase sempre filtradas pelos preconceitos ou conveniências.

Investir na qualidade do diálogo significa que é preciso abrir espaço para que os sentimentos sejam declarados, os valores sejam discutidos, bem como as regras de condutas. É preciso, também, que haja uma definição de negócio. Uma empresa precisa de um propósito, assim como cada um de nós necessita de um propósito. Mas não se trata de qualquer propósito. Ele deve definir com simplicidade a estratégia de uma empresa.

Qualidade de negócio depende do quanto um propósito mexe com corações e mentes. E não apenas da equipe de trabalho, mas também, e na mesma intensidade, com os corações e mentes dos clientes.

Outro cuidado importante: ao definir o negócio, pense em seguida em duas ou três prioridades capazes de efetivá-lo. Lembre-se: o pouco é muito, quando feito com excelência. Uma questão de conteúdo e objetividade.

É o seu papel discutir as responsabilidades e assegurar o comprometimento das pessoas envolvidas com a ação que se pretende consistente.

Definir as responsabilidades e assegurar o comprometimento são partes importantes para garantir a qualidade de riqueza (ou de geração de resultados), mas ainda não são suficientes. É preciso acompanhamento.

Acompanhamento – observe bem – não é sinônimo de controle, com o que não deve ser confundido. Acompanhamento é aprender com o colaborador as razões pelas quais os resultados não foram atingidos.

Acompanhamento implica circular, conversar com as pessoas, lá onde está a ação e onde os resultados acontecem. Implica fazer boas perguntas, mais do que dar respostas. Oferecer informação, direção e orientação para que a equipe conquiste resultados consistentes.

Começamos dizendo que o trabalho do líder é conseguir resultados. E que o trabalho da liderança consistente é buscar continuamente o equilíbrio dessa tríade. E isso deve ser feito com disciplina.

Entenda por disciplina seguir em frente, com perseverança. Não deixar que os fluxos e os influxos de caixa afetem as conquistas de resultados mais consistentes, estes sim geradores de riquezas.

Os resultados acontecem quando o líder se envolve profundamente e com disciplina para atingir os mais altos níveis de qualidade de diálogo, de negócio e de riqueza. E isso é consistência!

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios*