Acerte os passos, em 2015.

Todos nós que nascemos e aqui estamos, temos a capacidade de existir. Tal condição é proporcionada por nossos processos biológicos, químicos, cerebrais e sociais. Até aí, nada que nos faça bem sucedidos. Tudo instintivo e involuntário. Nada que, por si só, nos garanta evitar de seguir pela vida como marionetes ou no piloto automático, sem desfrutar verdadeiramente da existência. Ela só será, mesmo, abençoada quando trocarmos o existir pelo viver. E viver é outra viagem.

Primeiro passo

Vivemos quando usamos verdadeiramente nossos potenciais. Eles recebem nomes como inteligências, talentos, dons, mas ficam adormecidos quando nos limitamos a existir. Só afloram quando concentramos a atenção naquilo que experimentamos, a cada instante. E canalizamos toda a nossa energia física e psíquica no que estamos fazendo. Aí, sim, podemos saborear o que a vida tem de melhor. Exatamente como uma criança, ao brincar. Note como ela e o brinquedo se fundem, transformando-se em uma unidade, em um só mundo, pela absorção completa.

Quando canalizamos a nossa energia para o que fazemos, momento a momento, acrescentamos conteúdo à experiência de existir. É esse conteúdo que nos traz contentamento, não por acaso duas palavras da mesma origem. E quando existimos em estado de contentamento, transformamos o existir em viver.

 

Ao acrescentar conteúdo e contentamento à vida, reconhecemos naturalmente que as condições externas pouco importam. Conta mais o que fazemos com elas. Esse é o fator determinante.

 

Então, está lançado o desafio do primeiro passo: entregue-se totalmente ao que está fazendo e com tal contentamento que não deseje fazer nenhuma outra coisa senão exatamente essa.

 

Segundo Passo

Aquela cena paradisíaca de alguém deitado numa rede tomando água de coco, enquanto aprecia as ondas do mar, pode ser tão agradável quanto entediante. Explico: nem todas as pessoas curtem o lazer. Algumas se sentem mal com os finais de semana, os feriados prolongados e as férias. Onde está o problema? Ausência de desafio! Querem tempo livre, mas não sabem o que fazer com ele.

Quando canalizamos nossa energia física e psíquica para o que estamos fazendo, os desafios que enfrentamos exigem ainda mais dos nossos potenciais e nos induzem à concentração, à criatividade, à superação e à realização. Todo esse conjunto nos faz sentir vivos!

É o segundo passo. Ao dá-lo, busque desafios que façam com que seus pontenciais aflorem copiosamente, para que sejam usados.

 

Terceiro Passo

Trate a vida com generosidade, da mesma forma como ela trata você. Desenvolva a sua capacidade de ver milagres todos os dias. A origem da palavra milagre é mirari, que significa mirar com admiração. Os milagres existem, porém é preciso prestar atenção para vê-los. Mas prestar atenção em quê? Justamente no que farta, em vez de no que falta. Na abundância, ao invés da escassez. Nas virtudes, não nos vícios. Nos pontos fortes, não nos fracos.

Falta, escassez, vícios e pontos fracos estão em você, mas não são você. Da mesma forma como uma doença, que pode estar em nós, entretanto não nos identifica. Serve apenas como desafio para que conquistemos a saúde.

Está aí o terceiro passo certeiro para 2015: mire com admiração o que farta em você, a sua abundância.

 

Os três passos indicam um jeito de caminhar. A travessia completa você encontra no livro “Metanoia – Os Passos”. Trate de encará-los e, sobretudo, praticá-los desde janeiro, tão logo os fogos de artifício iluminarem os céus do mundo inteiro. Faça deles uma sagrada jornada, porque você merece viver na plenitude e imprimir as suas melhores pegadas.

QUE VOCÊ E NÓS TODOS, SERES HUMANOS FEITOS PARA BRILHAR, TENHAMOS UM NOVO ANO DE PASSOS CERTEIROS! UMA CAMINHADA FEITA DE IMPRESSÕES MARCANTES NO TERRENO, CAPAZES DE INSPIRAR MOVIMENTOS EM DIREÇÃO A UM MUNDO MELHOR. EM QUE, EM VEZ DE SÓ EXISTIR, SE VIVA! 

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios*