Abras as portas para a crise!

Se a crise bateu à sua porta, você deverá, antes de tudo, superar-se como líder. Terá que administrar com cuidado o curto prazo, mas não se preocupe tanto com isso. A própria crise se encarrega de colocar todas as atenções no imediatismo.

Então, para superar-se como líder, não perca de vista o seu papel de visionário, com uma proposta de futuro para oferecer à sua equipe. Trabalhe com os desafios de curto prazo que garantem a geração de caixa, mas também com a perspectiva de um futuro promissor que transcende as agruras do cotidiano. Lembre-se: a crise é apenas mais uma batalha, não o final da epopéia. Portanto, mantenha sua equipe íntegra!

Por falar em equipe, lembre-se de que você precisará muito dela. O único fator confiável de geração de resultados e de riquezas é o talento humano. Mas, para isso, você terá que conquistar o comprometimento das pessoas que compõem a sua equipe. E comprometimento não se consegue instigando medo e exercendo pressões.

Talentos costumam se evadir dos ambientes onde grassa o pânico e murcham diante de líderes autoritários. Então, nada de tirar proveito da crise para instalar o medo como mecanismo de coação e controle, pensando que, com isso, garantirá resultados.

Talento é moeda forte em tempos de crise. Portanto, não o desperdice. Aproveite a crise para fazer com que aflorem os potenciais das pessoas que trabalham com você

Talentos gostam, mesmo, é de participar do jogo, por inteiro. Em geral, as pessoas se comprometem quando participam das decisões, oferecendo informações, opiniões e idéias. Se não houver tempo e espaço para reflexão, a sua empresa atuará por reação, o que contribui ainda mais para fortalecer a crise. Aliás, é exatamente isso que todos estão fazendo, ao concentrar-se na defensiva.  Então, diferencie-se!

Crises pedem líderes firmes, austeros e exigentes, mas em relação aos objetivos e metas definidos em comum acordo. Não permita negligências e trabalho mal feito. Crises são úteis para imprimir com letras garrafais uma cultura de excelência. Mas sempre tenha em mente que deve ser duro, sim, mas jamais com as pessoas!

Por falar em excelência, saiba que você vai precisar muito do que essa palavra traduz para vencer a crise. Sua empresa terá que repensar os produtos e os serviços, com o firme propósito de surpreender positivamente o cliente num grau ainda maior do que tem praticado. Ou seja, em estado de permanente excelência.

 

Se a crise ainda não bateu à sua porta, pode ser que você e a sua empresa desfrutem da boa sorte. Mas essa boa sorte pode ser apenas outro nome para uma palavra valiosa: competência.

Mas se a crise bateu à sua porta, abra! Se você é capaz de manter um elevado grau de comprometimento dos seus colaboradores e consegue também um elevado nível de fidelização dos seus clientes, sua empresa passará incólume pela crise e mais que isso: você saíra melhor dessa do que quando entrou. Crises fortalecem!

E (pasme!) crises são também momentos de limpeza. Junto com ela, virão os novos ares e essa energia vigorosa e básica, traduzida em luz que, como diz a canção de Caetano Veloso, “a brisa traga e traduz em verde novo, em folha, em graça, em vida…”

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios*