A medida da ambição.

Não conheci empreendedores que não fossem ambiciosos. Algum problema nisso? Afinal, a humanidade não estaria nesse estágio de avanço tecnológico se não fosse a ambição.

Sem ambição não haveriam o Novo Mundo, a luz elétrica, a teoria da relatividade, a máquina a vapor, e tantos outros inventos. Todos eram ambiciosos: Cristóvão Colombo, Albert Einstein, Santos Dumont e Henry Ford. No meio empresarial, não existiriam General Motors, Microsoft, Wal-Mart, Disney e outras corporações que fizeram e ainda fazem história. A ambição é uma forma de energia que faz com que empreendedores coloquem seu tempo, esforços e talentos em prol de suas ideias.

É preciso que haja um bom motivo para que pulemos cedo da cama e enfrentemos com coragem os obstáculos diários. A ambição é capaz disso! Ela está relacionada com sonhos de grandeza e sabemos que são esses sonhos que constroem empreendimentos grandiosos. O que há de errado nisso? Nada, não fossem os excessos.

Para a pessoa ambiciosa o dia deveria ter 48 horas já que julga impossível implementar todos os seus projetos nas limitadas 24 horas. Com isso, a pessoa ambiciosa tenta fazer dez coisas ao mesmo tempo (e com baixo padrão de qualidade, evidentemente). Por conta da escassez de tempo e impulsionada pela ambição que excedeu a medida, a negligência começa a tomar conta dos trabalhos. Ao mesmo tempo, sente-se merecedora de um tempo maior do que as 24 horas oferecidas pelo Criador. O narcisismo é um indicador do excesso de ambição.

“Narciso acha feio o que não é espelho…”

 

… e, por conta disso, a pessoa ambiciosa não consegue acreditar que alguém seja tão talentoso como ela. A centralização é típica do líder ambicioso que não quer dividir sua ideia e não acredita em outros talentos que não sejam os seus.

Um empreendimento começa com uma ideia na cabeça! Essa ideia é fruto de um sonho e o empreendimento é o sonho colocado em ação. A boa ambição cria a energia necessária para que o empreendedor se movimente na direção de sua meta. A ambição em excesso faz com que o empreendedor se embriague de seus feitos até perder de vista o significado do seu sonho, transformando-o em um negócio qualquer, parecido com tantos outros.

Os bons empreendimentos são sustentados por valores morais e virtuosos mas o excesso de ambição pode substituí-los pela ganância e mesquinharia. A integridade é uma pedra preciosa que não deve ser usurpada pela ambição desmedida. Trair os próprios valores é a receita certa do fracasso.

A ambição deve ser usada em benefício dos outros e deve funcionar como o combustível de uma causa nobre. Um empreendimento movido à ambição é aquele que existe para servir o cliente antes de tudo.  A partir daí é possível conquistar a excelência e manter a humildade de colocar-se na posição de um eterno aprendiz que faz de cada dia uma oportunidade de aumentar os seus conhecimentos e os de seus colaboradores.

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios*