A força do propósito.

Tem gente que dá muito valor ao currículo. O que já fez, o que já estudou, o que vivenciou etc. Os empregos por onde passou e as funções que exerceu, os cursos e treinamentos dos quais participou, os títulos e condecorações conquistados.

Tudo é passado, apenas memória. Pode funcionar como lastro para desafios futuros, mas sem nenhuma garantia de que dê certo, outra vez. A velocidade das mudanças é tão grande que as vivências de antes se transformam em efemérides.

Não que o currículo seja totalmente inútil, mas nem de longe supera a potência de um propósito. Acredite: o seu propósito é mais importante e tem mais força do que o seu currículo. E tem mais: pode ser que nem seja preciso usar o que se passou, mas sim algo novo, que você só vai descobrir quando partir para a ação.

O devir (que representa o futuro) depende mais do seu propósito do que do currículo.

Acredite!

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios*