A comunidade que aprende

Empresas precisam de pessoas com aptidões para exercer funções e desempenhar tarefas. Ou já trazem essas aptidões, desenvolvidas em empregos anteriores, ou as aprenderão no atual emprego como desenvolvê-las. Aptidões ou habilidades fazem parte do conjunto de competências que um funcionário tem de ter para ser viável e útil em seu trabalho. Por essa razão, cada uma delas vai constar nos currículos vitae convencionais.

Empresas também precisam de pessoas com conhecimentos para que sejam capazes de responder às demandas e aos problemas do cotidiano ao exercer suas funções. Tais conhecimentos são adquiridos na experiência vivida em atividades previamente desempenhadas e, ainda, com o apoio de escolas e universidades. É por meio deles que as pessoas se fazem necessárias e é habitual que constem dos currículos, bem como as instituições de ensino que contribuíram nesse aprendizado.

O conjunto de competências é composto por habilidades e conhecimentos, mas ainda não é tudo, embora os currículos se limitem a isso. Existe, no entanto, o primordial, o imprescindível, aquilo que é tudo e nada ao mesmo tempo: a consciência!

É certo que muitos problemas, de várias ordens, ocorrem por causa da ignorância, que é um mal tremendo. Este, porém, se resolve com a aquisição de conhecimento. Inconsciência, entretanto, é um mal ainda maior e que só se resolve com a expansão da consciência.

Todas as complicações da vida, das relações abaladas às invencionices, miragens e preconceitos, são criadas por nossa inconsciência. Surgem do sonambulismo reinante, do adormecimento contínuo, do entorpecimento crescente.

Consciência é a palavra esquecida nas escolas e universidades (incluindo as corporativas), nos processos de treinamento empresariais, nas diferentes sessões de aprendizados por aí afora.

Um ser humano consciente jamais cria complicações e confusões para si e para os outros. A consciência nos ensina que problemas não se resolvem, mas se ultrapassam. Ou seja, parodiando Albert Einstein em uma tradução pessoal de sua frase tão conhecida: “você não consegue resolver um problema com a mesma consciência que o gerou”. A consciência não existe para resolver problemas e buscar soluções, mas sim trazer a paz de espírito necessária a que tais dificuldades não sejam criadas.

Habilidade tem a ver com destreza; conhecimento tem a ver com conceitos e definições; consciência tem a ver com luz e sabedoria.

Em meu novo livro, com lançamento marcado para 28 de outubro, mostro a diferença entre a organização nos moldes tradicionais e a comunidade de trabalho. O que distingue uma da outra é, justamente, a consciência!

LANÇAMENTO DO LIVRO AMIGO 28 DE OUTUBRO – NA METANOIA!

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios*